Coronavírus: como ficam os contratos de seguro?

Os contratos de seguro, de um modo geral, contam com cláusulas que excepcionam a cobertura em casos em que a perda está relacionada a situações que configurem caso fortuito ou força maior, como é o caso da pandemia do COVID-19.

Devemos, no entanto, registrar que os contratos de seguro são, em sua quase integralidade, classificados como contratos de adesão e configuradores de uma relação de consumo, ou seja, são contratos regidos pelo Código de Defesa do Consumidor nos quais o contratante, hipossuficiente, não tem a possibilidade de negociar seus termos. Sendo assim, não é difícil imaginar que o Poder Judiciário venha a declarar a invalidade das cláusulas que restringem as coberturas em caso de pandemia.

Em relação aos seguros saúde, a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) emitiu a Resolução n. 453, de 13 de março de 2020, que determina que os exames para diagnóstico da gripe por coronavírus sejam disponibilizados aos beneficiários, pois já contemplados na cobertura existente, não cabendo à seguradora alegar exclusão. Com isso, esse setor certamente será altamente atingido pela pandemia, tanto que já se admite que as seguradoras façam uso do sistema de resseguros.

Outros tipos de seguro, como é o caso de seguro de lucros cessantes, seguro viagem e, ainda, seguros para eventos, terão alta incidência de ocorrência de sinistro, sendo que em todos eles o elemento força maios poderá ser alegado pela seguradora como excludente de cobertura, cabendo, em última análise, ao Poder Judiciário a verificação da validade ou não de tal cláusula.

O fato é que esse tema é uma novidade em nosso país que, pela primeira vez, passa por uma situação de enfrentamento de pandemia, razão pela qual ainda teremos um período de grande discussão até sua pacificação por nossos tribunais.

*por Marcelo M. Bertoldi é advogado e atua nas áreas do Direito Societário, Fusões, Aquisições, Direito Contratual e Contencioso, Arbitragem e Governança Corporativa. É sócio do escritório Marins Bertoldi Advogados.

Marcelo-M-Bertoldi

Novo coronavírus: garantir a segurança da informação durante o trabalho remoto é primordial para sucesso das empresas

Tata Consultancy Services, após organizar sua equipe de 2.400 colaboradores para o trabalho remoto durante o período de distanciamento social, dá dicas de como gerenciar equipes remotas e garantir a proteção de equipamentos, dados confidenciais, equipes e clientes

 

Nos últimos meses, atendendo às medidas de proteção relacionadas à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a rotina da maioria das empresas brasileiras se transformou e corporações inteiras precisaram se adaptar a uma nova forma de trabalhar: remotamente. Na Tata Consultancy Services (TCS), líder global em serviços de TI, consultoria e soluções de negócios, não foi diferente. Foi necessário colocar em ação uma grande operação para capacitar seus mais de  2.400 associados no Brasil para o trabalho remoto, a fim de garantir a segurança de todo o time, bem como das informações, estando em conformidade com as certificações ISO 27001 e ISO 22301 que possui, e permitindo que as operações sigam normalmente para garantir continuidade aos negócios dos clientes – uma vez que presta serviços essenciais.

Para garantir que entrega, qualidade e segurança do serviço não fossem afetadas, foi preciso investir e reforçar o funcionamento de soluções para acesso remoto, como conexões VPN, VDI e via Cloud, ferramentas que permitem disponibilizar e informações de forma segura, com autenticação de 2 fatores (2FA), encriptação de discos rígidos dos laptops e desktops, disponibilização de ferramentas para backup dos arquivos dos computadores da empresa, e muito mais.

“É hora de exercer a empatia e colaboração para vivermos com a devida cautela que se pede. É muito importante redobrar os cuidados com a higiene e respeitar o distanciamento social. Isto depende de nós e é o que cada um de nós pode e deve fazer. Como parte do esforço para preservar a saúde de seus associados e clientes, a TCS implementou o SBWS,  locais seguros de trabalho fora das instalações da empresa, para manter o fornecimento de serviços aos clientes, uma vez que somos responsáveis por dar suporte a grandes estruturas tecnológicas”, comenta Tushar Parikh, Country Head para o Brasil na TCS e Head para as áreas de BFSI para Latam. “Desta forma, a TCS continua à disposição de seus clientes, parceiros e colaboradores, buscando manter o regular desenvolvimento de suas atividades”.

Muitos aspectos devem ser considerados para que essa mudança não represente riscos na segurança das informações corporativas. Um dos principais é reforçar a importância de estar atento a formas de preparar equipes para proteger dados confidenciais que, de acordo com a CISA (Agência de Infraestrutura de Segurança dos Estados Unidos) já estão sendo alvo de diversos golpes virtuais relacionados à doença em empresas de todo o mundo.

Outro ponto de destaque é o fato de que operações emergenciais, como esta, exigem comunicação clara entre toda a equipe e ações assertivas com todos os clientes e áreas internas para encontrar as melhores soluções para cada área e ambiente. Levando em consideração o que precisou fazer para capacitar todo o seu time em tempo recorde, a TCS preparou uma lista com dicas importantes de Rodrigo Ferrarez Pereira, Information Security Manager para a TCS Brasil e Argentina, para auxiliar empresas que estão gerenciando equipes remotas, garantindo a segurança da informação e a continuidade do trabalho de qualidade durante este período. Confira:

1 – Forneça equipamentos seguros e atualizados a todos os funcionários

Para garantir a segurança, é muito importante equipar todos os funcionários com máquinas seguras e atualizadas. Também é ideal revisar as configurações das ferramentas para se adequarem à nova realidade que estamos enfrentando: apostar em Antivírus e Anti-malware confiáveis; dar acesso somente aos recursos essenciais; implementar limitação de upload e download de arquivos através da internet – em muitos casos deve-se, principalmente, restringir a utilização de portas USB, CD/DVD -; e, remover privilégios de administrador.

2 – Aposte em soluções de segurança de ponta

Durante o trabalho remoto e teletrabalho, os serviços e ferramentas de Security Operation Center (SOC) e NextGen SOC, auxiliam equipes de TI na visibilidade e controle dos dados e atividades realizadas nas máquinas, mesmo que elas não estejam dentro do escritório.

A TCS atua como consultoria de TI e oferece assessments em várias áreas e frameworks de segurança para auxiliar seus clientes na garantia da segurança da informação. Além disso, o portfólio da TCS Brasil, conta com 3 principais frentes do portfólio global da TCS, como Serviços e ferramentas para Security Operation Center (SOC) e Next Gen SOC, IAM (Gerenciamento de Acesso e Identidade), e práticas em Dev Sec Ops.

A empresa também oferece a Mastercraft, ferramenta que auxilia clientes em todo o processo de desenvolvimento seguro de software (Privacy Edition), que também pode ser utilizada para adequação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

3 – Treine equipes com hábitos de navegação saudáveis e cibersegurança

Para evitar que informações sejam obtidas por pessoas mal intencionadas e para evitar que seus sistemas fiquem vulneráveis, é essencial instruir funcionários sobre as boas práticas de segurança virtual. Lembrando que os equipamentos fornecidos pelas empresas e clientes devem ser utilizados somente para o trabalho e nenhum outro fim. Equipes também devem estar atentas em relação aos conteúdos que recebem, acessam e retransmitem, visto que muitas campanhas de phishing são lançadas por hackers que desejam roubar informações ou credenciais de acesso. Em caso de recebimentos de ligações telefônicas, também é importante validar se a pessoa do outro lado realmente é quem diz ser (evitando sempre fornecer informações).

Simulação é a estratégia do futuro em tempos de pandemia

Um dos pilares fundamentais da indústria 4.0, a simulação virtual agrega conceitos de Big Data, Machine Learning, Metodologia Lean e Inteligência Artificial que, através de experiencias simuladas, identifica pontos de melhorias em processos, prevê falhas e problemas de produção, propõe soluções, testa hipóteses e verifica relações de causa e efeito de diversas estratégias de negócio. Com o avanço tecnológico, o uso da simulação virtual estará cada vez mais presente no ambiente de negócios e, consequentemente, no dia a dia das pessoas.

Neste momento complicado de distanciamento social, devido à pandemia da COVID-19, o apelo maior é, de forma objetiva, recriar estratégias, procedimentos e comportamentos para auxiliar o processo de tomada de decisão. Assim, a simulação virtual poderia, por exemplo, auxiliar a reproduzir diversos cenários de enfrentamento à pandemia em um ambiente hospitalar, simulando toda a complexidade do ambiente e permitindo um estudo minucioso das relações de causa e efeito da utilização de diversas estratégias de enfrentamento à doença.

Neste cenário, em qualquer empresa, todas as iniciativas a serem implementadas trazem consequências para o negócio de maneira direta ou indireta, podendo ser positivas ou não. E tomar decisões cujas consequências não surtam o efeito desejado e, ou, não estejam alinhadas aos objetivos do negócio, pode custar caro, principalmente em um mundo em que as informações viajam na rede em altíssimas velocidades e novidades surgem a todo momento.

Neste sentido, o emprego da simulação virtual é de extrema importância para o processo de tomada de decisão, uma vez que a simulação permite que o gestor tenha pleno entendimento dos efeitos que determinadas estratégias podem causar e então decidir quais métodos implementar e quais descartar. Vislumbrando assim o melhor cenário de crescimento, alinhado as estratégias da empresa e ainda, com sua capacidade de visão facilitada, é capaz de identificar e gerenciar melhor os riscos do negócio, evitando consequências inesperadas: como gastos excessivos, erros ou retrabalhos.

Portanto, ficam evidentes os benefícios do emprego da simulação virtual, que pode ser realizada remotamente, sem prejuízo no seu resultado, para auxiliar os gestores, onde dificilmente uma mesma decisão tomada para resolver um problema será adequada para solução de outro. Além disso, funcionam em programas de treinamento e aperfeiçoamento de competências, habilidades e até atitudes, uma vez que possibilitam treinamentos práticos, liderados e acompanhados por equipes especializadas, onde um ambiente e suas condições são simulados para estimular o comportamento adequado do colaborador frente a determinada situação.

O principal diferencial do uso dessa tecnologia para a formação de novos profissionais aptos e qualificados para tomar decisões rápidas e precisas, é a sensação de presença que provoca, estimulando o cérebro a intuir que está realmente imerso no contexto do ambiente simulado. A simulação virtual permite que o usuário interaja com todos os elementos de um cenário, fazendo do treinamento uma verdadeira experiência com a possibilidade de manipular e entender como funciona determinado processo ou produto em sua totalidade e por todos os ângulos, como se estivesse fisicamente no ambiente simulado.

A simulação virtual, certamente, exemplifica o enorme potencial de transformação da indústria 4.0, possibilitando processos de melhorias contínuas, teste de hipóteses, constantes reduções de desperdícios e melhoria de resultados através de uma nova e completa experiência simulada, sem que seja necessário prejudicar a rotina diária, além de mitigar riscos inerentes à tomada de decisões.

Inclusive este pode ser o momento ideal para realizar esses procedimentos de simulação e, na retomada dos negócios, estar à frente da concorrência, com o go to market de novos produtos e serviços, já testados, simulados e corrigidos. A área de vendas é uma das que mais pode se beneficiar do alcance dessa experiencia, simulando ao consumidor todas as sensações e experiências de determinado produto antes da compra, despertando o desejo unânime de aquisição do produto.

Sua empresa está preparada para esse novo cenário, com inúmeras possibilidades que surgirão após a pandemia?

Leonel Nogueira, CEO da Global TI

 

 

Auxilio tecnológico para empresas, ONGs, escolas e comércios durante à pandemia Caixa de entrada

Zoho amplia esforços de assistência global com programa personalizado de auxílio à empresas para que continuem funcionando

A crise do COVID-19 trouxe grande incerteza e perda para todos. Sem previsão para o fim da pandemia, é importante que as empresas desenvolvam planos de ação, principalmente no âmbito digital.

À medida que as pessoas se ajustam ao que enfrentamos hoje, com trabalho remoto e aulas à distância, a Zoho Corporation, uma empresa global que oferece softwares de negócios, está lançando seu Plano de Auxilio (Vertical Relief Plan, em inglês) composto por alguns programas gratuitos, ferramentas e aplicações para ajudar as empresas e organizações necessitadas e impactadas pela crise.

“Somos muito gratos a todos os trabalhadores que estão nos ajudando a enfrentar esta tempestade”, disse Sridhar Vembu, co-fundador e CEO da Zoho. “Além dos que estão na linha de frente, existem trabalhadores em setores que estão lutando, perseverantemente e que estão inventando novos caminhos. O Plano de Auxilio é uma maneira de apoiar essas pessoas, sejam elas professores, ongs ou varejistas, que estão totalmente comprometidos em ajudar os outros em tempos como esse”.

Anteriormente, a Zoho introduziu várias iniciativas para ajudar a comunidade empresarial em geral, incluindo o Programa de Assistência Emergencial para PMEs e o Remotely, que agora está sendo usado ativamente por mais de 15.000 negócios globalmente.

Desde então, surgiram dados indicando quais indústrias foram desproporcionalmente afetadas como resultado da pandemia. Segundo a CEPAL (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe), a América Latina sofrerá a pior crise social em décadas, com milhões de pessoas enfrentando desemprego e pobreza. A instituição prevê ainda que a pandemia fará a economia brasileira encolher 5,2% este ano.

O VRP é um esforço direcionado para fornecer assistência máxima às empresas e organizações que foram mais atingidos de forma crítica durante essa crise. Além desses programas, a Zoho está incentivando pequenas empresas, bem como profissionais de diversos setores a utilizarem descontos, treinamentos e programas de suporte que a empresa oferece para ajudá-los a se adaptarem às mudanças de funções durante dessa vez.

Aqui estão alguns dos principais recursos do Plano de Auxílio e uma lista dos programas de suporte adicionais da Zoho para ajudar no gerenciamento das mudanças:

Zoho Creator COVID-19 App Program

O programa ajuda organizações sem fins lucrativos, órgãos governamentais e comunidades que estão trabalhando em vários programas, como monitoramento de pacientes ou distribuição de alimentos, a executar sua missão com mais eficiência com a ajuda de aplicativos.

Essas organizações podem fazer uma solicitação e o Zoho criará aplicativos da Web e móveis de graça usando o Zoho Creator, uma plataforma de desenvolvimento de aplicativos low-code. A Zoho pode, por exemplo, criar ferramentas para ajudar organizações sem fins lucrativos ou grupos comunitários a organizar abrigos ou distribuir alimentos ou outros serviços essenciais.

Desde que o programa foi testado há duas semanas, ele recebeu mais de 70 solicitações e já entregou mais de 10 aplicativos, incluindo o Citizen Communication App e o Medical Staff Management App para órgãos do governo local na Índia.

Zoho Desk

O Zoho Desk, o software de suporte técnico da empresa, fornece às equipes as ferramentas para gerenciar seu trabalho e comunicação.

Zoho Social

Cada vez mais, organizações sem fins lucrativos estão recorrendo às mídias sociais para gerar doações e reunir colaboradores, por exemplo. Para ajudar as organizações dependentes das mídias sociais, o Zoho Social está abrindo sua edição avançada gratuitamente por seis meses. Também está atendendo as solicitações de extensão dos usuários, além de fornecer orientação educacional e aprimoramentos de ferramentas para ajudar os usuários a trabalhar remotamente.

Zoho Checkout

Para organizações sem fins lucrativos que trabalham para fornecer alívio durante a pandemia, o Zoho Checkout está disponível gratuitamente, permitindo a coleta de doações on-line facilmente.

Zoho Classes

Usando as Zoho Classes, professores e instituições podem fazer upload de cursos, transmitir aulas ao vivo, compartilhar tarefas em prazos determinados e coletar respostas em uma interface. Nas aulas do Zoho, professores e alunos fazem login no mesmo aplicativo, o que significa que qualquer coisa enviada ou recebida pode ser monitorada centralmente pelo diretor da escola ou pelo administrador. Os alunos só podem ingressar em um grupo depois que um convite é enviado diretamente de sua escola.

Zoho ShowTime

O Zoho ShowTime facilita o aprendizado colaborativo virtual e eventos interativos. É uma ferramenta complementar o Zoho Classes.

Zoho Commerce

Com o Zoho Commerce Starter Plan, comercios podem criar sua presença on-line usando a plataforma (gratuita até 60 dias).Serviços essenciais, como varejo ou produtos farmacêuticos, podem configurar rapidamente sua presença on-line, aproveitando o treinamento gratuito e a integração rápida do Zoho Inventory, o software de gerenciamento de pedidos da Zoho, configurado especialmente para eles.

Programas adicionais em suporte ao gerenciamento de mudanças

Essa pandemia criou um cenário de negócios imprevisível. Enquanto muitas indústrias e empresas foram forçadas a contratar funcionários, outras estão contratando, incluindo farmácias, prestadores de serviços de alimentação e organizações de assistência médica. Seja crescendo ou girando ou simplesmente tentando manter os negócios, a Zoho está fornecendo aos trabalhadores e às empresas suporte adicional em várias categorias de negócios.

Agora, o Zoho Survey permitir que empresas e líderes de equipe preparem rapidamente pesquisas e questionários para coletar dados necessários para tomar decisões mais inteligentes e rápidas durante esse período. A empresa também forneceu vários modelos de pesquisa relacionados à crise para ajudar as organizações a iniciar o processo de coleta de dados. Além disso, a Zoho Campaigns agora oferecem modelos de crise para ajudar no alcance e na comunicação.

A Zoho aumentou o limite de armazenamento para empresas que usam o WorkDrive. Esse aumento no armazenamento ajuda as empresas atualmente com um volume acima do normal, como ONGs ou empresas de comércio eletrônico. Para as empresas que desenvolvem novas linhas de receita, o WorkDrive serve como uma plataforma centralizada e escalável de gerenciamento e armazenamento de dados.

A Zoho está oferecendo vários programas de desenvolvimento através do Zoho People, incluindo treinamento em gerenciamento de mudanças, treinamento em privacidade e segurança, treinamento em gerenciamento de estresse, treinamento em novas tecnologias, treinamento onboarding, treinamento em comunicação e colaboração, e treinamento em mudança de função.

O Zoho Recruit se integrou ao Zoho Meeting para tornar possível a interface de vídeo. O aplicativo ajudará os recrutadores a fornecer experiências oportunas, positivas e virtuais de candidatos para as empresas que não podem trabalhar com pessoal rápido o suficiente devido à crise. Além disso, o Zoho Meeting agora é gratuito com o Zoho Bookings, simplificando o agendamento de compromissos virtuais para ajudar as demandas crescentes de uma força de trabalho remota global.

A Zoho criou vários recursos adicionais, incluindo um painel de impacto COVID-19 ao vivo, conselhos de planejamento, recuperação financeira, um centro de ajuda de trabalho remoto e grupos de usuários virtuais, para ajudar as empresas durante esse período. Para uma lista abrangente de programas, acesse: www.zoho.com/covid19

 

paper-3213924-1920Foto: Divulgação

A importância da interoperabilidade

 

Uma comunicação segura e eficaz entre diferentes sistemas e plataformas de colaboração, é possível através das tecnologias da interoperabilidade.

Interoperabilidade é a capacidade de um sistema se comunicar de forma transparente com outro sistema, mesmo que ambos sejam diferentes. Através de um protocolo aberto, empresas como absolut technologies, integradora de Pro-AV, implementam a interoperabilidade dos sistemas de comunicação, transformando diferentes linguagens sistêmicas em uma só.

Com o passar dos anos, os sistemas e equipamentos de videoconferência foram se modernizando. Esses sistemas ganharam cada vez mais notoriedade, por proporcionar uma transformação no modelo das pessoas e empresas se comunicarem, além de uma grande redução de custos. No entanto por serem muitos sistemas e equipamentos com diferentes linguagens, se fez necessário uma plataforma que possibilitasse a integração de todos eles.

“Principalmente no atual momento em que vivemos, onde você não pode simplesmente agendar uma visita e se locomover até o seu cliente, ter a possibilidade de contactá-lo remotamente independente da plataforma ou sistema de comunicação que ele possua, talvez seja a única forma para muitas empresas darem continuidade às atividades do seu negócio”, diz Lucymeire Ferraz, Diretora na absolut technologies. 

Pensando nisso, a integradora absolut technologies desenvolveu o abs InterUP, uma solução que integra e condensa através da nuvem, qualquer sistema de videoconferência em uma só solução. Em uma parceria com a empresa líder de mercado em interoperabilidade – Pexip – o abs InterUP é uma solução que além de reduzir custos, integra qualquer plataforma de comunicação e promove uma conexão mais ágil e acessível.

Os sistemas tradicionais de videoconferência operam a partir de equipamentos periféricos como, câmeras, aparelhos de áudio e monitores, que só se comunicam através de sistemas iguais, onde os protocolos fechados impossibilitam uma integração com outra plataforma.

Já os sistemas “mais modernos” de videoconferência são hospedados em nuvem, e funcionam através de dispositivos móveis e desktops. Esses sistemas também possuem seus próprios protocolos impossibilitando uma integração.

A partir destes dois cenários, onde ambos os sistemas são diferentes e não conseguem interagir entre si, entendemos a necessidade de uma plataforma que faça a interoperabilidade dessas videoconferências, independente do sistema ou equipamento que esteja sendo usado.

Dentre os benefícios da interoperabilidade temos uma automatização nas tarefas dentro das organizações, ampliação na produtividade, alcance de melhores resultados e redução de custos, visto que a interoperabilidade torna a comunicação entre sistemas mais ágil e eficaz, garantindo o estabelecimento de objetivos e estratégias e o alcance de bons resultados.

Pexip é uma plataforma nativa da nuvem, que conecta toda a tecnologia de videoconferência em uma única solução. De maneira uniforme plataformas como, Microsoft Teams, Google Hangouts Meet ou Skype for Business, serão alinhadas no mesmo fluxo de comunicação, com qualquer outro sistema de videoconferência tradicional, seja ele Polycom, Cisco entre outros.

Com o abs InterUP fazendo a integração das plataformas, um gestor poderá reunir seus colaboradores em uma sala de reunião tradicional, com toda a infraestrutura de videoconferência, junto com seu presidente que está se comunicando de outro ambiente, através de um sistema de comunicação pela nuvem em seu notebook.

19-videoconferencia

Foto: Divulgação

Arcos Dorados e Cisco fecham parceria para oferecer cursos gratuitos de tecnologia

Conteúdos como IoT e Cibersegurança, além de conceitos básicos de informática, serão oferecidos para funcionários da rede de restaurantes e abertos para a comunidade

 A Arcos Dorados, maior franquia independente do McDonald’s no mundo, fechou uma parceria com a Cisco, líder global em tecnologia, para levar a todos os funcionários da rede de restaurantes e seus familiares cursos técnicos gratuitos, que abordarão desde conceitos básicos de informática até as principais tendências em TI da atualidade. As inscrições para a primeira fase de treinamentos também estão abertas para a comunidade em geral.

A parceria é realizada por meio da Hamburger University, centro de desenvolvimento da Arcos Dorados, com conteúdo oferecido pelo Cisco Networking Academy, programa global de responsabilidade social em educação e empregabilidade no setor de tecnologia da Cisco, buscando proporcionar novas oportunidades de educação e carreira. A iniciativa terá início no próximo dia 13 de maio com cursos online, apoiando aqueles que desejam continuar aprendendo nesse período de distanciamento social ou procuram desenvolver novas habilidades para aplicar em suas áreas de trabalho.

Nesse momento serão disponibilizados três temas:

Internet das Coisas – O termo descreve um cenário em que numerosos objetos do dia a dia estão conectados à internet e se comunicando mutuamente. O curso abordará o que isso quer dizer e a importância dessa tendência para o nosso cotidiano. Inscrições

Introdução à #Cibersegurança – No mundo conectado em que vivemos, estar em segurança é muito importante. No curso serão abordados assuntos como segurança de dados, ameaças e métodos de proteção no mundo digital. Inscrições

Conecte-se: Introdução à Informática – No mercado atual, dominar o básico da informática é essencial para todas as pessoas. O curso aborda as funcionalidades do computador, como ferramentas, softwares e acessórios importantes para a utilização da Informática no dia-a-dia. Inscrições

Os três cursos serão ministrados totalmente online, no formato e-learning, onde cada aluno pode escolher o momento que achar adequado para iniciar e dar continuidade à formação.

A Hamburger University foi uma das primeiras universidades corporativas do mundo e a primeira no segmento de restaurantes. Além de sua reconhecida atuação no setor de alimentação, a Arcos Dorados também busca ressaltar a importância da educação, investindo cerca de 40 milhões de reais por ano em treinamentos, contando com estratégias educacionais de ponta.

Tecnologias de teleassistência auxiliam idosos em quarentena

Os idosos estão entre os grupos que mais exigem atenção com a pandemia do novo coronavírus. Em tempos de isolamento social, a recomendação é que pessoas acima de 60 anos fiquem em casa e que os familiares evitem contato próximo. Diante disso, tecnologias de teleassistência são fundamentais para aperfeiçoar os cuidados aos idosos de maneira remota, como o Vidafone da empresa Tecnosenior.

“O Vidafone é um dispositivo simples, que permite ao usuário acionar nossa Central de Atendimento de forma fácil e rápida. Ao toque de um botão SOS, será gerada uma chamada com a central, que auxiliará o idoso, visando acalmá-lo, e contatar os familiares ou responsáveis que possam ajudar no socorro. Seja para pedir ajuda, relatar uma emergência ou conversar, estamos disponíveis 24 horas por dia”, explica Carine Proto, Chief Operating Office da Tecnosenior. Segundo ela, em situações de urgência, contatos cadastrados serão rapidamente alertados pela central, agilizando o socorro e a preservação da vida.

O botão SOS do Vidafone pode ser acionado em um dispositivo usado como pulseira ou pingente junto ao corpo, ou pelo próprio console, equipamento que deve ser conectado na linha telefônica fixa e na tomada de energia elétrica. O dispositivo usado como pulseira ou pingente, por sua vez, possui uma bateria de longa duração, é 100% à prova d’água e antialérgico.

A comunicação desse sistema com a Central de Atendimento 24h da Tecnosenior opera em qualquer lugar do Brasil com rede de telefonia fixa e conta ainda com a opção de chamada induzida. “Com este recurso, o familiar ou responsável pode fazer uma ligação diretamente para o idoso que estiver sozinho em casa, com viva-voz de longo alcance pelo console, sem que ele precise atender a chamada”, observa Carine Proto.

A tecnologia do Vidafone possui diversos recursos e acessórios opcionais, oferecendo ainda mais segurança para o idoso. Com sensores que podem ser facilmente instalados na casa, estes acessórios se conectam com o console do Vidafone para a realização da chamada de emergência, trazendo maior tranquilidade para a família. Um dos diferenciais é o Sensor de Queda, que também tem botão SOS e é utilizado junto ao corpo em formato de pingente. Ao detectar um evento, por meio de um cálculo baseado em mudança de ângulo, velocidade, impacto e altura, o sensor ativará uma chamada de emergência automaticamente.