Movimento Brasil Digital convida CEOs de grandes empresas para discutir transformação digital em Fórum de Trancoso

Evento acontecerá em novembro e tem por objetivo a construção de propostas que tragam tecnologia e inovação para o centro da estratégia do país

 

cyber-3400789_1920

O estado da Bahia será palco de um evento que promete definir os parâmetros para as discussões futuras sobre transformação digital no Brasil. A 1ª Edição do Fórum de Trancoso acontecerá entre os dias 20 e 22 de novembro na cidade homônima e é uma iniciativa do Movimento Brasil Digital para reunir lideranças empresariais, políticas, acadêmicas e da sociedade civil com o compromisso de debater e implementar caminhos para a transformação do Brasil em um país mais inovador e inclusivo.

O nome que abrirá as discussões deste grande evento, que acontecerá no Teatro L’Occitane, é Paul Romer, ganhador do último Prêmio Nobel de Economia, professor de Economia na Stern School of Business e Fundador do NYU Stern Urbanization Project.

A programação dos três dias de fórum contará com a participação de executivos de grandes empresas do setor. Já estão confirmados na grade de conteúdo: Mauricio Ruiz, diretor-geral da Intel Brasil; Eduardo Marini, presidente da Green4T; Leticia Piccolotto, presidente da Fundação Brava e CEO da BrazilLab; Rubens Gil, presidente da Autopass; Lidia Abdalla, presidente do Sabin; e Miguel Setas, presidente da EDP.

Adelson dos Santos, presidente da IT Mídia e do Movimento Brasil Digital, também está entre os confirmados no evento. “O Fórum de Trancoso será para o Brasil o que o Fórum de Davos é para o mundo”, aposta.

Líderes das empresas Autopass, Cassis Group, Cisco, EDP, EY, FDC, Fundação Brava, Globo.com, GPTW, Green4T, HSM, IBM, Intel, IT Mídia, Korn Ferry, Microsoft, Oracle, Sabin, Zup, entre outras estarão presentes no Fórum de Trancoso.

Sobre o Movimento Brasil Digital

Criado em 2018, o Movimento Brasil Digital busca promover o diálogo entre os setores público e privado, para a construção de propostas que tragam tecnologia e inovação ao centro da estratégia do país. Deste modo, o MBD pretende preparar a sociedade para as profissões do futuro de forma humanizada, gerando ocupações qualificadas e garantindo sustentação do crescimento econômico. Para mais informações, acesse: http://movimentobrasildigital.org.br/

Anúncios

CEO da Rentcars.com discute o impacto da tecnologia no mercado de aluguel de veículos no XIV Fórum Internacional do Setor de Locação de Veículos

Poder alugar um carro sem sair de casa e ainda contar com a vantagem de pesquisar preços e até a disponibilidade de modelos de veículos para a data da viagem. Essas e outras vantagens fazem parte da Rentcars.com, uma das líderes globais no setor de aluguel de veículos. Esses benefícios e muitos outros que são proporcionados pela tecnologia e inovação no setor que Francisco Millarch, CEO da empresa, discute durante uma palestra no XIV Fórum Internacional do Setor de Locação, realizado pela ABLA (Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis).

O XIV Fórum Internacional do Setor de Locação chega à edição de 2019 como o maior e mais importante evento de qualificação, negócios e network da América Latina, no que diz respeito à atividade de aluguel de veículos. “A inovação está no DNA da Rentcars.com. Em nossos 10 anos de vida sempre apostamos em ferramentas inovadoras para que nossa plataforma ofereça a melhor experiência possível para o cliente”, explica Francisco.

Fundador e CEO da Rentcars.com, Millarch possui sólida experiência de mais de três décadas no setor de tecnologia e serviços. O executivo também fundou a empresa Mala Pronta.com em 2004, uma das primeiras plataformas de e-commerce de reservas de hotéis no Brasil. Em 2011, uma pesquisa realizada pelo instituto PhocusWright apontou a Mala Pronta como uma das três maiores agências de turismo online (OTA) do Brasil e uma das dez maiores da América Latina. Em 2012, a empresa foi vendida para uma das maiores operadoras de turismo do mundo, a Tui Travel.

Francisco morou e trabalhou em Londres entre 1997 e 2000, onde ele desenvolveu e liderou mais de 30 projetos de tecnologia online para clientes como Financial Times, Xerox, Adidas e Laura Ashley. Ao retornar ao Brasil ele liderou a Divisão de Tecnologia e Internet do Grupo Positivo e lançou o Portal Educacional, o maior site de educação do país.  O executivo possui graduação em Publicidade e Propaganda e em Engenharia Elétrica. Mestre em Hypermedia pela Universidade de Westminster, ele concluiu o Executive Program de Stanford. O executivo também finalizou o curso Owner and President Management Program (OPM), em Harvard. Além disso, Millarch é mentor da Endeavor e membro da Young President’s Organization (YPO).

Serviço:

XIV Fórum Internacional do Setor de Locação

Data: 01 e 02 de outubro

Horário: 08h às 18h

Inscrições:

https://www.nmbrasil.com.br/congressos/source/index.php?ev=0140301&idioma=br

Sobre a Rentcars.com

Fundada em 2009, a Rentcars.com é uma das líderes globais em conectar pessoas com as melhores opções de aluguel de carros no mundo. Além disso, a empresa se destaca como a principal empresa de locação de veículos online da América Latina.  Hoje, a empresa atua em mais de 160 países, mantendo presença em mais de 5 mil cidades e 20 mil pontos de atendimento. Site: www.rentcars.com

 

Francisco-Millarch---2019--02- (1)

Francisco Millarch, CEO da Rentcars.com

Prêmio AFRAC de Excelência revela finalistas do setor de automação

Os vencedores serão divulgados no jantar de premiação a ser realizado no dia 9 de outubro de 2019 para confraternização dos concorrentes

Premio-AFRAC2

A segunda edição do Prêmio AFRAC de Excelência já tem os nomes dos possíveis vencedores de cada categoria de fornecedores de tecnologia de diferentes segmentos do mercado de automação para o comércio. No dia 9 de outubro de 2019, será revelado quem serão os premiados. A cerimônia será realizada na Casa Bisutti, localizada na Rua Casa do Ator, 577 – Vila Olímpia, em São Paulo, com um coquetel seguido de jantar de confraternização das 19h às 23h.

São 20 empresas finalistas selecionadas pelo Comitê Julgador, formado pelos executivos das entidades que fazem parte da União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (UNECS), para determinar o vencedor de cada categoria, sendo que algumas das companhias estão concorrendo em mais de uma. Os nomes são: Urano, Officer, Scansource, JN Moura, Migrate, Gertec, Toledo, Inventti, Saurus, Cappta, Schalter, Pax, NCR, Linx, BM Informática, SQG, MTB, Hiper, MGI Tech, Senior.

O prêmio tem a intenção de incentivar ainda mais a inovação para automatizar o comércio do país. “Os finalistas selecionados pelo comitê são nomes representativos do setor de automação brasileiro e é para evidenciar e desenvolver esse mercado que atuamos há três décadas lado a lado com os fornecedores de tecnologia”, conta o presidente da AFRAC, Zenon Leite Neto.

A criação do prêmio surgiu após 19 edições da Feira AUTOCOM, principal evento de automação para o comércio da América Latina, que reúne anualmente os maiores fabricantes de Hardware, Software, AIDC/RFID e os principais players de Meios de Pagamento, Startups, E-commerce e Canais de Distribuição. “Premiar o setor, além de dar visibilidade para a tecnologia também evidencia os parceiros dedicados com a excelência de seus produtos e serviços e com as boas práticas de mercado”, explica o presidente.

Aos interessados em acompanhar o evento de premiação, os ingressos podem ser adquiridos através do site www.premioafrac.com.br.

Serviço

Data: 9 de outubro de 2019

Horário: 19h às 23h

Local: Casa Bisutti

Endereço: Rua Casa do Ator, 577 – Vila Olímpia

Convite para premiação: Poderá ser adquirido no site da premiação (www.premioafrac.com.br)

Banco RCI Brasil aposta em tecnologia para conquistar ampliar mercado

cdb-2620-Banco-RCI.jpg

Braço financeiro das montadoras Renault e Nissan conta com app rápido para investimentos e inteligência artificial para atendimento no financiamento

Após apenas seis meses do lançamento de seu primeiro Certificado de Depósito Bancário (CDB) no mercado brasileiro, o Banco RCI Brasil, braço financeiro das montadoras Renault e Nissan, já ganha destaque entre as instituições financeiras que atuam na área de investimentos. Em função principalmente de um aplicativo amigável, a empresa conquistou a liderança entre outros bancos no ranking de agilidade de abertura de conta em simulações da plataforma Yubb com instituições financeiras, com um tempo de 31’40’’.

“Além de ser amigável, o aplicativo, disponível nas lojas App Store e Google Play, é exclusivo para investimentos nos CDBs, o que torna a operação mais direta e objetiva. Além disso, o cadastro é rápido e há exigência apenas da foto de um documento de identificação, sem a necessidade de imagem de comprovante de residência, o que normalmente é exigido por outros bancos”, detalha a Diretora de Clientes e Operações Elizandra Costa. Segundo ela, o Banco RCI Brasil foi o primeiro banco de montadora no País a lançar uma plataforma online exclusiva para investimento.

Segurança e modernidade

Com a solidez de uma instituição classificada como “Aaa.br” – melhor rating concedido no País pela agência Moody’s, o Banco RCI Brasil alia segurança e modernidade. Por isso, a decisão de investir continuamente em tecnologia para tornar os processos mais ágeis e inteligentes. “Apostamos em fintechs que desenvolvem tecnologias diferenciadas para estarmos sempre à frente. Toda tecnologia é amplamente testada antes de entrar em operação para evitar problemas para os clientes. Por isso, as nossas plataformas são destaque em eficiência”, declara a executiva.

O Banco RCI Brasil já adota inteligência artificial para o atendimento dos clientes de   financiamento de veículos por meio chatbots, representados por personas: Rita (Banco Renault) e Nina (Credi Nissan). No caso do CDB, já há planos de trabalhar e ampliar essa tecnologia nos próximos anos, por meio de chatbot (com interações nas redes sociais, por exemplo).

Produtos diferenciados

Hoje, o Banco RCI Brasil conta com um CDB de liquidez diária com rentabilidade de 102% do CDI, uma das melhores taxas do mercado, e acabou de lançar um CDB com rentabilidade de 108% do CDI com vencimento para um ano – ambos são isentos de tarifas. Além de contar com o rating máximo da Moody’s (Aaa.br), o investimento também é protegido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), o que dá total segurança aos clientes.

O valor mínimo de aplicação é de R$ 500, o que torna o produto acessível a um número maior de investidores e também uma ótima opção de investimento aos saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), cujos valores serão liberados a partir deste mês. Se considerarmos uma simulação de um ano, com valor de R$ 500, a diferença da rentabilidade do CDB do Banco RCI Brasil e do valor mantido na conta do FGTS chega a 65,5%.

Sobre o Banco RCI Brasil

O RCI Bank and Services é o braço financeiro da Aliança Renault, Nissan e Mitsubishi no mundo e está presente em 36 países.

O Banco RCI Brasil, filial brasileira, tem como principal papel atuar junto às marcas Renault e Nissan e suas redes de concessionárias com a oferta de produtos financeiros competitivos e atrativos que se adaptem aos perfis mais exigentes, com o máximo de agilidade e eficiência.

As empresas do grupo iniciaram suas atividades operacionais em 2000 e ocupam a liderança entre os bancos que financiam os veículos Renault e Nissan zero quilômetro no Brasil. O Banco RCI Brasil fechou 2018 com mais de 316 mil clientes e 132 colaboradores.

TCS une-se à Cisco para desenvolver soluções aceleradoras de transformação digital

Novo Centro de Excelência Cisco DNA da Tata Consultancy Services criará soluções otimizadas para redes que reduzem riscos e aprimoram a experiência dos clientes

 

unnamed (28)

A Tata Consultancy Services (TCS), empresa líder em soluções de negócios, consultoria e serviços de TI, celebrou um novo marco em sua longa parceria com a Cisco, criando um Centro de Excelência (CoE) para desenvolver soluções que exploram a plataforma DNA-C da Cisco.

O novo CoE será usado para criar soluções para transformação de redes preparadas para o futuro, e também para otimizar o desempenho de soluções específicas para cada setor que a TCS vem desenvolvendo para seus clientes aproveitando sua experiência no domínio, conhecimento contextual e estrutura de liderança de pensamento do Business 4.0 ™, inteligente, ágil, automatizado e na nuvem. Um dos desafios que as empresas enfrentam atualmente é a deterioração do desempenho operacional de aplicações digitais críticas para os negócios em momentos de pico de carga de trabalho em redes com controles estáticos. O CoE desenvolverá aplicações que usam a capacidade das redes definidas por software para gerenciá-las dinamicamente, reduzir os tempos de resposta e assim proporcionar uma excelente experiência aos clientes.

Os especialistas da TCS que trabalham no CoE desenvolveram uma solução chamada Enterprise Compliance Enforcement – Rede que utiliza os recursos da plataforma Cisco para criar microssegmentos de rede e isolar ativos críticos, ajudando os administradores a seguir várias políticas de conformidade específicas de cada setor. A aplicação personalizada, baseada em modelos, facilita os processos de auditoria e conformidade, além de reduzir os riscos para as empresas.

“Nosso novo Centro de Excelência é mais um marco importante da ampla e duradoura parceria entre a TCS e a Cisco. Estamos desenvolvendo soluções transformadoras que usarão o poder das redes baseadas em intenções para aprimorar ainda mais a experiência dos clientes e gerar mais valor competitivo em suas jornadas rumo ao Business 4.0″, afirma V Rajanna, chefe global da Unidade de Negócios de Tecnologia da TCS.

“A parceria entre a Cisco e a TCS cresceu ao longo dos anos, explorando nossas forças para superar alguns dos principais desafios de nossos clientes. Por ser aberta e programável, a arquitetura da Cisco baseada em intenções oferece aos parceiros uma poderosa ferramenta para criar novas soluções de rede. Estou animado para ver quais inovações do Centro Cisco DNA surgirão no novo Centro de Excelência da TCS”, comenta Ravi Chandrasekaran, vice-presidente sênior da unidade de negócios de rede da Cisco.

“Nosso foco comum em tecnologias de redes definidas por software está resultando em novas soluções da TCS que levam clientes usuários de redes corporativas tradicionais para redes dinâmicas com resposta ágil para os negócios, elevando os níveis de produtividade, desempenho, segurança e conformidade”, destaca Krishna Mohan, chefe adjunto de Operações Cognitivas de Negócios da TCS.

Sobre a Tata Consultancy Services Ltd. (TCS)

A Tata Consultancy Services é uma empresa de serviços de TI, consultoria e soluções de negócios, que nos últimos 50 anos tem se associado a muitas das maiores empresas do mundo para acompanhá-las em suas jornadas de transformação. A TCS oferece um portfólio integrado, voltado para consultoria e com suporte cognitivo, de serviços de TI, Negócios e Tecnologia e Engenharia. A entrega é realizada através do seu modelo único de delivery, Location Independent Agile, reconhecido como padrão de excelência em desenvolvimento de software. Como parte do grupo Tata, o maior conglomerado industrial da Índia, a TCS tem mais de 424 mil dos consultores mais bem treinados do mundo em 46 países. A empresa gerou receita consolidada de US$ 20,9 bilhões no exercício fiscal encerrado em 31 de março de 2019 e está listada na BSE (antiga Bolsa de Valores de Bombaim) e na NSE (National Stock Exchange) na Índia. A postura proativa da TCS em relação às mudanças climáticas e o premiado trabalho que realiza com comunidades em todo o mundo garantiu à empresa um lugar nos principais índices de sustentabilidade, como o Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI), o Índice Global de Sustentabilidade MSCI e o FTSE4Good Emerging Index.

Para mais informações, visite www.tcs.com

Brasil e México lideram ataques digitais contra outros países, revela pesquisa da F5 Networks

Levantamento sobre incidentes de segurança na América Latina mostra as vulnerabilidades de diversas verticais da economia, a maior presença de links infectados em e-mails de phishing e o uso de ambientes IoT em BotNets (Mirai)

image002 (3)

A F5, líder em serviços que garantem a segurança e a entrega de aplicações corporativas, anuncia os resultados da pesquisa “LATAM Security Threats 2019”, levantamento realizado pelo F5 Labs a partir de incidentes de segurança mapeados neste ano, em toda a América Latina. Sediado em Seattle, EUA, o F5 Labs é uma divisão da F5 Networks que identifica ameaças que atingem empresas do mundo todo; o conhecimento construído pelos experts do F5 Labs é disponibilizado gratuitamente no portal https://www.f5.com/labs. “A primeira edição da pesquisa LATAM Security Threats lança luz sobre o que está efetivamente acontecendo na nossa região”, ressalta Hilmar Becker, country manager da F5 Networks Brasil. O levantamento mostra que o Brasil é o décimo primeiro país de onde mais se lançam ataques sobre todo o planeta; na América Latina, o Brasil é a principal fonte de ataques; em segundo lugar está o México e, em terceiro, a Venezuela.

Para Becker, esse posicionamento do Brasil explica-se pelo descompasso entre a economia fortemente digitalizada e uma legislação ainda desatualizada. A LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), que começará a ser fiscalizada pela ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados) em agosto de 2020, pode alterar este contexto. “A nova lei irá fortalecer a cultura de segurança e privacidade de dados no Brasil”.

O F5 Labs identificou, também, que operadoras de Telecomunicações que atuam no Brasil estão dando vazão a uma grande quantidade de tráfego contaminado. Dentro da lista das 10 operadoras de Telecom da América Latina que enviam arquivos infectados para o mundo e para outros países da região, há cinco players brasileiros.  Isso é comprovado por meio da análise dos protocolos de comunicação encontrados nos malwares examinados pelos experts do F5 Labs. É um sinal de que algumas operadoras não conseguem filtrar o tráfego, nem fazer a mitigação das ameaças transmitidas por suas redes.

Finanças, varejo, saúde e governo: ataques via injeção SQL e phishing

Em termos de verticais, vale destacar como o mercado financeiro está reagindo às ameaças digitais. Apenas 1,5% de invasões por meio de injeção de código SQL consegue atingir bancos, corretoras e seguradoras. “Isso mostra que as áreas de TI e de Segurança desse segmento estão atualizando seus sistemas de modo a impedir violações por meio de acessos a formulários disponíveis via Web”. Em relação a ataques que dependem de fraudes realizadas via e-mail – como phishing – o quadro é outro. 66,91% desse setor sofre com esse tipo de fraude.

No segmento do varejo, ao contrário, 71,88% dos ataques são baseados em injeção de código SQL por meio do preenchimento de formulários nos sistemas de e-commerce. Em um formulário, por exemplo, onde o cliente deveria colocar seu nome, um bot (aplicação autônoma com um comando pré-determinado) ou um criminoso digital irá inserir um código malicioso. Nesse universo, 15,73% das violações acontece por meio de e-mail/phishing.

Na vertical serviços de saúde, apenas 7,8% dos ataques se dão por meio de injeção de código SQL. 42,48% das violações acontecem por meio de usuários que, de forma desavisada, abrem e-mails contaminados e acessam páginas Web fraudulentas (phishing). E no governo, finalmente, ataques por meio de injeção via código SQL representam 36,40% das violações. Invasões realizadas por meio de e-mail/phishing representam 22,70% do quadro.

“Fica claro que, dentro das empresas, há uma convivência entre ameaças com dois perfis diferentes: injeções por meio de código SQL e e-mail/phishing”, aponta Becker. O desafio das injeções SQL é vencido por meio da constante atualização dos sistemas, de modo a incorporar os patches lançados pela indústria para, justamente, evitar a violação via queries. Conforme a complexidade do ambiente da empresa usuária, porém, o ato de atualizar os sistemas pode trazer novos desafios. “Quanto mais crítica a utilização da aplicação, mais importante será testar, num ambiente paralelo, o efeito do patching sobre esse sistema”. Essa situação pode explicar o fato de a pesquisa encontrar, entre diversos malwares de injeção de código SQL, vulnerabilidades que já tinham sido identificadas pelo F5 Labs há anos.

Os ataques baseados em e-mail e phishing, por outro lado, exigem ações de treinamento dos usuários finais. A pesquisa realizada pelo F5 Labs aponta que, nas empresas onde não acontece o treinamento do usuário sobre as armadilhas do phishing, até 33% do universo de colaboradores pode ser cooptado por esse tipo de ataque. Quem investe em ações de treinamento consegue baixar essa marca para 13% do seu universo de funcionários.

Links inseridos dentro de e-mails: ameaças escondidas

A pesquisa do F5 Labs ressalta, também, o crescimento do poder destruidor de links inseridos dentro dos e-mails de phishing. Houve um tempo em que a maior parte dos malwares vinham encapsulados dentro de arquivos anexados ao e-mail como PDFs ou extensões do Office. “Identificar uma ameaça disfarçada como um arquivo legítimo é algo que soluções de tecnologia tradicionais, como um antivírus, conseguem fazer; o quadro muda de figura quando a ameaça está escondida no link copiado dentro do e-mail”, ensina Becker. “É necessário contar com um firewall corporativo configurado para bloquear a abertura desse link a partir de uma lista – atualizada 24×7 – de sites perigosos ou contaminados”.

E, por fim, os experts do F5 Labs mapearam as vulnerabilidades dos ambientes IoT (Internet das Coisas) do Brasil e da América Latina. “Novas variantes da BotNet Mirai – ameaça identificada originalmente em 2016 – seguem sendo lançadas em todo o mundo”, explica Becker. A região Sudeste do Brasil é um dos polos de organização e uso, para ataques criminosos, de BotNets baseadas em dispositivos IoT como câmeras de segurança, pequenos roteadores domésticos, decodificadores de TV a cabo. Esses dispositivos não contam com recursos avançados de segurança. No momento de sua instalação em residências ou empresas, muitas vezes suas senhas – pré-configuradas de fábrica – não são alteradas. Esse quadro contribui para que a crescente base de dispositivos IoT em uso no Brasil siga sendo escravizada por hackers e utilizada, por exemplo, no disparo de ataques DDoS.

Sobre a F5

 A F5 oferece às maiores organizações do mundo – corporações, provedores de serviços de Telecomunicações, órgãos governamentais e grandes empresas consumer – a capacidade de garantir a entrega e a segurança de suas aplicações, onde quer que estejam rodando esses sistemas. A F5 entrega soluções de nuvem e de segurança que permitem às organizações atender às demandas da sua infraestrutura de aplicações; isso é feito com rapidez e controle.  Para mais informações, visite www.f5.com. Você pode, também, seguir @f5networks no Twitter ou nos encontrar noLinkedIn e no Facebook.

 

Grupo Remaza reduz 80% o tempo de faturamento dos veículos e gera economia

Dealer Cars For Sale

Nos últimos cinco anos, as concessionárias brasileiras passaram por uma forte queda nas vendas, e consequentemente, muitas lojas foram fechadas. Quem conseguiu manter as operações em aberto, passou a buscar alternativas para reduzir custos e encontrar formas de satisfazer e fidelizar o cliente, visto à competitividade do mercado. Foi assim que o Grupo Remaza, que possui 20 concessionárias em São Paulo, decidiu investir na implementação do produto desenvolvido pela Vianuvem – empresa brasileira de tecnologia especializada em BPM – alcançando grandes resultados em menos de um ano.

Com o uso do Vianuvem BPMS, desde 2017, o Grupo Remaza – que já opera no segmento há 54 anos – conseguiu reduzir o tempo de faturamento dos veículos de 10 dias para 2. Houve também, uma economia de 8 mil reais por mês com custos de impressões e cópias de documentos, menos 20 mil reais por mês com motoboys e malotes, redução de 50% da equipe de financeiro, além da diminuição de 90% de juros e multas por atraso de pagamentos.

A transformação digital via BPM vem se tornando cada vez mais comum no mundo corporativo, por ser capaz de revolucionar o modo como os processos são gerenciados, trazendo resultados positivos para empresas. “No caso do Grupo Remaza, a plataforma é utilizada por mais de 700 funcionários, nos processos de vendas, faturamento, compras, contas a receber, tesouraria, contas a pagar e despachante. O vendedor imputa todas as informações no BPM e, por meio de uma fila de aprovações on-line, o veículo é liberado pelo despachante. Dessa forma, todo o fluxo de venda das concessionárias se tornou rastreável e ficou bem mais fácil monitorar e resolver erros ao longo do processo”, conta Fredy Evangelista, CEO da Vianuvem.

Atualmente, 65% dos carros vendidos no Brasil tem um veículo seminovo na troca e, em média, essa venda envolve a entrega de 50 documentos por cliente, com cópias, impressões e malotes. “A utilização do BPMS nas nossas concessionárias melhorou a comunicação entre os setores, integrando as áreas e otimizando o tempo de rotina das atividades dos colaboradores. Assim, por meio da centralização do faturamento de veículos, foi possível reduzir gastos, ter uma gestão mais ágil e eficiente, otimizar as vendas e oferecer uma experiência melhor de compra para os clientes, via processos menos burocráticos”, conta o Alexandre Zaninotto, dono do Grupo Remaza.

Além disso, a tecnologia do Vianuvem possibilitou a aprovação de documentos por meio de um aplicativo. “Dessa forma, os gestores podem auditar os processos à distância, o que torna mais fácil a expansão dosnossos negócios para fora de São Paulo”, finaliza Alexandre.