Dicas de como economizar com o uso da nuvem na sua empresa

economizar com o uso da nuvem

Atualmente muitas empresas buscam alternativas para a redução de custos. Mas poucas sabem que dentro da própria área de TI existe um grande aliado para a economia, a conhecida computação em nuvem. Ela consegue modernizar as ferramentas de produtividade e gestão do negócio sem precisar fazer grandes investimentos, além de diminuir os custos a longo prazo.  

Segundo um estudo da IDC, cerca de 80% das organizações no Brasil preferem a computação em nuvem, devido à economia e inovação que o serviço oferece. Dentre estas, 10,4% das empresas tiveram aumento nas receitas após aderirem à nuvem e houve uma redução de cerca de 77% em relação aos custos de TI.      

O especialista Fabiano Brito, CEO da FC Nuvem – startup de tecnologia do Grupo FCamara que comercializa, habilita e gerencia os recursos de nuvem de seus clientes – listou 8 dicas para quem quer economizar usando a computação em nuvem.  

1 – Atualização garantida e sem custo 
Com a computação em nuvem, o usuário terá sempre à sua disposição o software mais recente, sem custo adicional. Isso além de garantir a redução de custos, garante a segurança já que o usuário poderá contar com as versões mais atualizadas e seguras, sem precisar se preocupar com manutenções que travam a produtividade dos usuários. 

 
2 – Backup 
Optar pelo backup na nuvem garante que seus dados estejam disponíveis sempre que precisar, garantindo a produtividade contínua dos colaboradores. Assim a empresa estará preparada para incidentes físicos e riscos digitais (hackers, falhas) sem precisar comprar ou instalar internamente equipamentos e softwares de alto custo e mantê-los atualizados e seguros.  

3- Espaço 
O armazenamento na nuvem possui grandes vantagens quanto a redução de custos, como: pagar apenas pelo espaço utilizado, não se preocupar com o monitoramento contínuo, ter segurança de que os dados estão protegidos, armazenamento redundante, entre outros. 

 
4 – Previsão de Gastos 
A nuvem permite que a empresa faça cálculos antecipados de como pretende escalar ao longo do tempo, possibilitando o planejamento de recursos com as estimativas de custos para capacidades maiores de armazenamento e transmissão. 
 
5 – Segurança 
A segurança da computação em nuvem é diferente da segurança tradicional. Agora a responsabilidade pela segurança é compartilhada com o provedor de nuvem e isso possui um ótimo custo-benefício para o usuário. O provedor de nuvem é responsável por criptografar, proteger e manter atualizados e disponíveis os dados de sua empresa e também prevenir ataques. 

6 – Compatibilidade garantida e economia em suporte 
Suporte e manutenção de data centers físicos, máquinas locais com configurações distintas e diversos softwares e sistemas operacionais necessita de uma equipe de TI dedicada ao assunto, o que possui um custo muito alto. A nuvem elimina a maior parte desses problemas ao dispensar o suporte e manutenção desta infraestrutura e ainda garantir compatibilidade para todos usuários ao permitir acesso a qualquer máquina que se conecte a internet.  

 

7 – Redução de Custos com infraestrutura de TI 
A nuvem faz com que as empresas deixem de se preocupar com uma complexa infraestrutura de TI local, como servidores e equipamentos, local de instalação, dimensionamento do sistema de refrigeração, segurança, etc. Esse trabalho todo agora é do provedor de nuvem que já conta com toda a parte física em suas dependências. Além disso, não será mais necessário investir em infraestrutura a longo prazo, levando em consideração o uso futuro pois a nuvem permite a escalabilidade conforme necessidade, pagando somente pelo que utilizar. 

8 – Pagamento 

Existem duas principais formas de fazer o pagamento do consumo de nuvem na empresa: cartão de crédito direto com o provedor e faturamento através de parceiros do provedor.  

Muitos gestores optam pelo pagamento via cartão de crédito pois acreditam que é a forma mais fácil e barata de se fazer isso. Entretanto este é um grande erro! A contratação de nuvem desta forma traz mais desvantagens do que vantagens, como impostos, riscos fiscais, variação cambial e atendimento e suporte não especializado. Com o cartão, o contratante fica suscetível à variação do dólar, incidência de outros impostos (como IOF), atendimento e suporte nãoespecializado 

Para garantir que tudo corra bem, procure por parceiros de nuvem confiáveis e com expertise em cloud que possam ajudar na sua jornada e já façam o licenciamento dos recursos, como a FC Nuvem, startup de nuvem premiada pela Microsoft. 

  

“A FC Nuvem ajuda as empresas nesse processo, focando na redução de custos através de pacotes de serviços e consultoria especializada”, finaliza Fabiano Brito, CEO da startup.   

Anúncios

Black Friday 2018: atenção aos golpes virtuais

e-commerce-27072018113008372

Com a chegada do mês da Black Friday, a ansiedade e a expectativa dos consumidores e varejistas só aumentam, afinal, estamos falando de uma das datas mais importantes para o comércio. Neste ano, a Black Friday  está marcada para o dia 23 de novembro, última sexta-feira do mês.

De acordo com dados de uma recente pesquisa de confiança realizada pelo Reclame Aqui, 51,13% dos consumidores brasileiros não confiam nas promoções da Black Friday. Porém,  não há problemas em confiar nas boas ofertas e realizar compras pela internet, desde que o usuário adote algumas medidas de segurança.

Por gerar muita comoção e atitudes impulsivas, o evento é considerado uma ótima oportunidade para a proliferação dos ataques virtuais. Nesta época, os cibercriminosos utilizam a criatividade para aplicar golpes pela internet.

Para prevenir a propagação das ameaças virtuais e garantir a segurança dos compradores, os especialistas em cibersegurança do Arcon Labs elencaram cinco dicas para os consumidores on-line não caírem em golpes durante a Black Friday:

  • Não utilize mecanismos de busca na hora de procurar boas ofertas. Procure em sites já conhecidos e confiáveis. O intuito é reduzir as chances de utilizar um site falso.

  • Preste sempre atenção: emails falsos costumam “dedurar” as más intenções. Além da saudação genérica, o endereço de e-mail do usuário pode estar no lugar do remetente.

  • Suspeite de promoções com preços muito baixos recebidas por e-mail, anúncios nas redes sociais e WhatsApp. Os cibercriminosos estão cada vez mais criativos quando se trata de falsas promoções.

  • Não se esqueça de manter o antivírus atualizado para evitar possíveis ataques. O próprio software avisa quando surgem novas atualizações.

  • Evite usar um Wi-fi público, principalmente quando precisar inserir dados pessoais.

Marketing de Performance é tema central de conferência em São Paulo

conferencia-performance18-eventostech-800x450

No dia 27 de novembro, São Paulo recebe a Conferência Performance 2018. Promovido pelo Digitalks, o evento traz palestras, cases, workshop e Talk Show liderados por 15 palestrantes e executivos do mercado nacional.

O evento faz parte da São Paulo Tech Week 2018. Chegando a sua 4ª edição, a São Paulo Tech Week é o maior festival de inovação do Brasil e tem como objetivo posicionar São Paulo como maior hub de inovação da América Latina. Desde 2015, a cidade é presenteada com iniciativas e eventos que atraem e conectam milhares de talentos, empreendedores e investidores, promovendo oportunidades de negócios na cidade para empresários e investidores internacionais. Acesse www.saopaulotechweek.com e saiba mais.

De acordo com Gabriela Manzini, Head de Conteúdo do Digitalks, esta edição da Conferência Performance pretende aprofundar os assuntos que ajudam na conversão para as marcas. Serão abordados temas como Data-Science, Marketing Preditivo e o conjunto entre Mídia Programática, Mobile, Social e Vídeo. “A criatividade na hora de repensar campanhas também entra como uma importante tendência de marketing, em paralelo à estratégia data-centric, para não deixarmos de lado em 2019”, completa Gabriela.

Entre os destaques do evento está o Talk Show com o tema Como uma cultura de Ciência de Dados vai aumentar a performance do seu negócio, que acontece às 9h30, e terá a participação de André Martins, da AMARO, e Sérgio Alexandre, da PwC. O objetivo do quadro é mostrar como a cultura de dados e estratégias de data-driven tem aumentado a performance de campanhas e do negócio como um todo.

Para falar sobre O mercado nos dias de hoje: como vender em 2019? será apresentada a pesquisa sobre como o consumidor compra online, quais as principais estratégias utilizadas pelos times de performance, o que precisa ser reciclado e o que surge como oportunidade. A pesquisa é exclusivamente encomendada pelo Digitalks para o mercado e apresentada por Felipe Schepers, da Opinion Box, e o painel tem ainda a participação de Daniel Galvão, da CRP Mango, Ronnie Magalhães, da Wix, Tais Rui, da Infracommerce, e um executivo da Dafiti, a confirmar presença.

O case Marketing Preditivo: o próximo passo do Performance Marketing trará a Rappi com a Jampp mostrando que, em um mundo cada vez mais digital, o branding e a performance precisam andar juntos, especialmente no mobile. O case envolveu pontos como mídia, marca, storytelling e conversão para a marca.

Às 15h, é a vez do workshop Os pilares para estratégias de performance na nova realidade digital, que abordará como compras omnichannels, novas tecnologias e expectativas do consumidor elevadas estão levando profissionais do varejo a capitalizar em temporadas de vendas, como Black Friday, Natal e Dia das Mães, por exemplo. O quadro contará com Simone Sancho, da Sephora, e mais uma executiva dizendo um pouco mais como trabalham suas estratégias de performance dentro da marca.

Por fim, o fast track especial com Rodrigo Onias, da Jequiti e Baú da Felicidade (SBT) abordará o tema Quando sair da caixinha define novas formas da marca performar positivamente com o público-alvo. Podendo ser complementado ainda por mais outras ações de performance que confirmam o tema e inovações do último ano na Jequiti também em outras áreas.

A Conferência Performance 2018 acontece no Developer Hub (sede do Digitalks), que fica na Rua Oscar Freire, 2.379, Pinheiros, das 9h às 18h, reúne palestras e talk shows com mais de 15 palestrantes e Happy Hour de negócios. As vagas são limitadas para o melhor aproveitamento. A inscrição deve ser feita no site da Digitalks, através do link  https://digitalks.com.br/eventos/conferencia-performance2018/. Mais informações através do e-mail forum@digitalks.com.br ou do telefone (11) 3159-1458.

Serviço – Conferência Performance 2018                  

Data: 27 de novembro (terça-feira)

Horário: das 9h às 18h (conteúdo e happy hour de negócios)

Local: Developer Hub (sede do Digitalks) – Rua Oscar Freire, 2.379, Pinheiros

Investimento: R$ 397,00 (lote final)

N˚ vagas: 150 lugares (vagas limitadas para melhor aproveitamento)

Inscrições:  https://digitalks.com.br/eventos/conferencia-performance2018/  

Informações: forum@digitalks.com.br ou (11) 3159-1458

Tempest debate o uso responsável de dados e o impacto da Lei Geral de Proteção de Dados

download

“Nós acreditamos que privacidade é um direito humano fundamental. Não importa em qual país você viva, esse direito deveria ser protegido ao se manter quatro princípios essenciais”. A frase é de Tim Cook, CEO da Apple, mas poderia ser de Cristiano Lincoln Mattos, CEO da Tempest, maior empresa de cibersegurança do Brasil e que “acredita que a cibersegurança é um direito do mundo. E é justamente isso que desafia a empresa”. Foi com esta citação que Lincoln iniciou o Tempest Talks, evento realizado semestralmente pela Tempest para debater temas relevantes com o mercado. Esta edição foi dedicada ao uso responsável de dados pelas empresas e os caminhos para se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), sancionada em 14 de agosto.

Entre os palestrantes, estavam Gustavo Monteiro, Head de Digital Identity da Tempest; Charles Bradley, fundador da Adapt, de Londres; Cristiano Adjuto, superintendente de segurança da informação da B3; e Ronaldo Lemos, advogado, pesquisador e professor reconhecido internacionalmente.

Gustavo destacou que o comportamento do usuário é identificado a partir dos dados. “A medida em que as tecnologias vão evoluindo, é possível obter mais informação. Por outro lado, a análise de dados é essencial. Não adianta ter um volume enorme de dados e não saber como interpretá-los”, explica.

Para trazer uma visão de como as empresas estão se adequando à General Data Protection Regulation (GDPR), lei em vigor na União Europeia, a Tempest trouxe ao Brasil Charles Bradley, Diretor Executivo da Global Partners Digital, que compartilhou casos reais de organizações ao redor do mundo que tiveram bons resultados, alinhando os objetivos de ética no tratamento de dados, privacidade e cibersegurança. “A transparência e a ética no uso de dados conferem mais valor no relacionamento com o cliente. Inspira confiança e transparência. É algo holístico que afeta todas as esferas do seu negócio: cibersegurança, jurídico, governança, etc. E nunca é cedo demais para um dano na reputação, pois qualquer ação nesse sentido pode impactar diretamente o consumidor”, destaca.

Como a B3 atua na União Europeia, a empresa já vinha se adequando à GDPR há mais tempo. Cristiano, que tem dedicado 50% do seu tempo à adequação da empresa à LGPD, diz que é preciso entender por onde a informação trafega para depois fazer um fluxo em que os processos sejam ágeis, mas sigam o ritmo da empresa. “Tem muita metodologia desenvolvida para auxiliar nesse sentido”, afirma.

Ronaldo Lemos dedicou sua palestra à comparação da GDPR com a LGPD e como as empresas devem se preparar para as mudanças que estão por vir. “Um fator importante é o efeito dominó. Cada empresa que faz o processo de complianceespera que os seus fornecedores façam o mesmo para não assumir o risco dele. Isso vai dividir o mercado em dois: os que fizeram e os que não fizeram a adequação”. E destacou a necessidade de haver uma agência nacional de regulação da LGPD que, segundo Ronaldo, é uma perda porquê pode haver distorções na aplicação da Lei, da mesma forma que houve com o Marco Civil da Internet.

O evento aconteceu na manhã desta quinta-feira, 8 de novembro, no Espaço Infinitto, na cidade de São Paulo.

Educação dos filhos nos dias atuais é tema do próximo “The Women Knowledge”

Encontro reúne mulheres e profissionais do assunto para um bate-papo sobre educação com filhos.

Como educar bem os filhos? Será que estou deixando meu filho muito tempo no celular? Estou impondo os limites necessários? São apenas algumas das questões que as mamães e os papais têm. Para conversar sobre esse tema tão importante, o The Women Knowledge irá realizar o encontro sobre “Os desafios da educação na atualidade”. Será no dia 29 de novembro, a partir das 19 horas, no Espaço Aura, em São Paulo.
Para esse tema, o The Women convidou as especialistas no assunto: Ana Cassia Stamm, psicóloga; Andressa Isola, designer e baby planner; e a educadora Parental em Disciplina Positiva para pais e para casais, Melissa Guimarães. Na ocasião, as convidadas e as participantes irão debater e trocar experiências sobre maternidade, regras, limites, a culpa, a falta de tempo da mulher dos dias atuais, a diferença da educação dos dias de hoje para antigamente, entre outros assuntos.
“Sabemos que ser mãe e trabalhar fora nos dias atuais não é uma tarefa fácil. Por isso, queremos proporcionar o máximo de bem-estar para as nossas participantes, unindo relaxamento com uma profunda reflexão”, diz a idealizadora do The Women, Theka Moraes.
Durante o evento, a chef Luciana Cataneo irá oferecer um jantar harmonizado.
Serviço
O jantar acontecerá no dia 29 de novembro, das 19h às 23h, no Espaço Aura, em São Paulo (SP). Para mais informações e reserva de vaga, as interessadas devem consultar o perfil no Instagram, @thewomenoficial ou acessar o link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfYxpgIUVQaFtODL4wQm4uG6Ger0Wm10Dcog5P7ntbOZTFdAQ/viewform
A promoção dos eventos é feita com patrocínio e apoio de empresas, como: Movida, Amilla, Dress&Go, Estética Santa Beleza, Luciane Cataneo personal chef, Cris Lopes, consultoria de imagem, Freixenet e Marcos Mesquita. A organização é feita pela TKM Business Advisory.
Quem participa do ‘The Women’
O conceito inovador do “The Women” atende a mulheres que buscam ter um momento diferenciado do seu hall social e profissional.
Sobre Theka Moraes
Formada em Gestão Comercial na Anhembi Morumbi, de São Paulo, Theka Moraes possui ampla experiência no mercado de negócios e relacionamentos conquistados ao longo dos últimos 15 anos, com passagem pela área de negócios da revista Cool Magazine, da plataforma de networking Experience Club, da AEG World Wide, entre outras.
Evento do Projeto “The Women”
Ana Cassia Stamm, psicóloga
Andressa Isola, designer e baby planner
Melissa Guimarães, educadora Parental em Disciplina Positiva para pais e para casais.

Modelos humanos digitais 3D trazem precisão a projetos de arquitetura e de produto

image001

Os modelos humanos digitais 3D vêm se tornando elementos fundamentais para a elaboração de projetos arquitetônicos, de engenharia e de produtos. Tendo evoluído para o ambiente tridimensional, as ferramentas de projeto passaram a demandar medidas corporais mais detalhadas e precisas, que a antropometria tradicional – 1D – não fornece. Por meio de seu Laboratório de Ergonomia (Laber), que incorporou a seus projetos dados obtidos com o primeiro escâner 3D de corpo inteiro a laser da América Latina, o Instituto Nacional de Tecnologia (INT) tem liderado no Brasil importantes pesquisas nessa área.

As aplicações dessas novas técnicas de uso dos modelos humanos digitais 3D em projetos são o tema da palestra do ciclo Terças Tecnológicas, que acontecerá no próximo dia 13 de novembro, às 14h30, na sede do INT, próximo à Praça Mauá. Quem apresenta são pesquisadores do Laber: a designer e tecnologista Flávia Pastura – que em 2017 concluiu seu doutorado em Engenharia Civil pela Coppe/URJ, abordando a “Extração Automática de Medidas Antropométricas a partir de Imagens Geradas por Digitalização a Laser e Câmeras CCD” –, e os designers Denise Silva Batista e José Luís de Oliveira, mestres em Design, que atuam em projetos de produto e de ambientes de trabalho.

Agregando movimentos humanos capturados por sensores inerciais aos modelos humanos digitais 3D é possível simular situações de trabalho em ambientes virtuais. Esses simuladores possibilitam avaliar alternativas de projeto de modo rápido e em um estágio inicial do processo de design. Na Divisão de Desenho Industrial do INT, essa tecnologia vem sendo aplicada a projetos para esportes de alto desempenho, projetos de ambientes domésticos para a população idosa e simulações 3D para o setor de petróleo e gás.

O ciclo Terças Tecnológicas é voltado para estudantes de graduação e pós-graduação, apresentando atividades como essa, desenvolvida pelo Instituto Nacional de Tecnologia. O objetivo é estimular o debate e a interação entre tecnologistas e o público universitário, e divulgar tecnologias inovadoras para a sociedade.


Serviço:


Terças Tecnológicas – 2018

Tema: Modelos humanos digitais 3D: aplicações em projeto

Palestrantes: Flávia Pastura (chefe substituta do Laber)

                       Denise Silva Batista  (bolsista do Laber)

                       José Luís de Oliveira (bolsista do Laber)

Data: 13 de novembro

Horário: 14h30 às 16h30

Local: Auditório Fonseca Costa / Instituto Nacional de Tecnologia

           (Av. Venezuela, 82/4º andar – Praça Mauá – Rio de Janeiro)

Inscrições gratuitas: email para eventos@int.gov.br, com nome completo e instituição.

Os inscritos receberão certificado de participação.

PTI: há 15 anos criando soluções para o desenvolvimento regional e o futuro do planeta

Vista aérea do Parque Tecnologico de Itaipu.

A história do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) tem dois grandes marcos: o primeiro foi sua criação, em 23 de maio de 2003, a partir da articulação da usina de Itaipu com o Instituto de Tecnologia Aplicada e Inovação (Itai) e a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

Antigos alojamentos que, nos anos de 1970 a 1980, foram ocupados por barrageiros que construíram a usina, tornaram-se sede do PTI, que nasceu da intenção de se criar um ambiente de ciência, tecnologia e inovação, em documento pactuado por 37 autoridades brasileiras e paraguaias.

Essas instalações deram lugar a salas de aula, incubadora de empresas, a espaços para entidades governamentais e empresas de iniciativa privada, criando assim uma comunidade inteira voltada para o desenvolvimento de tecnologias sustentáveis.

O segundo marco na história do PTI veio em 2017, quando a Itaipu Binacional, sua mantenedora, ampliou a área de atuação socioeconômica e ambiental para os 54 municípios do Oeste paranaense. Nos passos de Itaipu, o PTI também passou a participar deste novo universo. Com o apoio do governo federal, o PTI tornou-se um polo global de sustentabilidade, contribuindo para o avanço econômico e social regional.

O PTI, nos primeiros anos, esteve mais voltado para a formação educacional – nele estão instaladas três universidades (Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Unioeste, Universidade Federal de Integração Latino-Americana- Unila e Universidade Aberta do Brasil – UAB) e na articulação e apoio a cursos de pós-graduação. Desde 2011, 20 pós-graduações foram realizadas (entre especializações, mestrados e doutorados), bem como o apoio à educação não-formal, com projetos de iniciação científica de crianças e de formação técnico-profissional. Ao longo do tempo, o Parque expandiu suas atividades na busca de soluções para o crescimento sustentável do Oeste do Paraná.

Instalado numa área de 75 hectares, dos quais 54 mil metros quadrados de área construída, com mais de 60 laboratórios, usados por estudantes e pesquisadores de diversas instituições, mais de 50 salas de aula e 11 espaços de eventos, o PTI está localizado na fronteira do Brasil com o Paraguai e Argentina, numa região de mais de um milhão de habitantes. Por esse universo inovador, passam todos os dias mais de 7 mil pessoas, entre colaboradores, fornecedores e turistas, que chegam diariamente de todas as partes do mundo para conhecer os atrativos da usina de Itaipu.

Os serviços oferecidos pelo Complexo Turístico Itaipu, com sete modalidades de visitas, são gerenciados pelo PTI. O recurso desses ingressos garante a autonomia da operação turística, gera aproximadamente 300 empregos diretos, financia ações de inovação do PTI e ainda contribui financeiramente para o fundo local de incentivo ao turismo. Esse modelo de atuação foi premiado pela Organização Mundial do Turismo.

Nas vias de acesso ao PTI, a frota de veículos é quase toda movida a biometano (que utiliza o biogás resultante do reaproveitamento de restos de comida de restaurantes locais e também dejetos de animais da região para a geração de energia) ou a eletricidade. É mais uma prova de preocupação com a sustentabilidade e que o PTI está sempre em busca da inovação e atua no desenvolvimento de projetos que possam ajudar na melhoria da vida das pessoas da região e do mundo todo.

Ainda na área de mobilidade urbana, por meio de parcerias, o Parque pesquisa e desenvolve baterias para carros elétricos, à base de níquel e sódio. Há grande expectativa com a bateria de sódio, de custo mais baixo e com a vantagem de ser quase totalmente reciclável. A utilização de carro elétrico com a bateria de sódio seria o ideal como alternativa a veículos movidos a combustíveis fósseis, altamente poluentes. A utilização do carro elétrico, mesmo se a frota brasileira fosse em grande número, teria baixo impacto na matriz energética, já que o consumo deste tipo de veículo é mais ou menos equivalente ao de um aparelho de ar condicionado.

Também na área de fontes alternativas de energia, o PTI dá apoio à Itaipu, a maior geradora de energia limpa e renovável do planeta, com estudos sobre o hidrogênio, considerado o combustível do futuro. O Parque possui uma planta de produção de hidrogênio, onde são feitas pesquisas relacionadas a esse elemento, para aproveitar a energia excedente de Itaipu em sua produção e suas aplicações também em células a combustível.

Na área de automação, o PTI criou um laboratório para garantir independência tecnológica à usina de Itaipu, com mais de 50 serviços técnicos e tecnológicos desenvolvidos até agora, como simulações do funcionamento dos mais diversos equipamentos e sistemas associados da geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. Antes, Itaipu dependia para essa área de soluções externas.

A inovação também é feita em favor das cadeias produtivas do Oeste do Estado, como o projeto “Fazenda Inteligente”, que está implantando estações-teste em propriedades rurais que fazem o monitoramento climático da produção, do plantio à colheita. Os equipamentos garantem ao homem e à mulher do campo informações precisas para a tomada de decisão e, dessa forma, resultam em uma maior produtividade e aprimoramento das atividades agrícolas.

De 2017 até agora, mais de 50 convênios – entre projetos, fomento e termos de cooperação e patrocínio – foram assinados entre o PTI e uma série de instituições governamentais e não-governamentais em benefício da região. Em 15 anos de atuação, são mais de 260 convênios, entre fomentos, termos de patrocínio, acordos de cooperação e protocolos de intenção.

Uma dessas novas parcerias é com o Ministério Público Estadual, para o desenvolvimento de um modelo do Portal da Transparência de municípios paranaenses. Sancionada em 2009, a Lei da Transparência exige que as entidades públicas divulguem receitas e despesas de forma acessível a todos os cidadãos, mas não estabeleceu um modelo para esses dados, o que, muitas vezes, compromete o acesso a essas informações. Por meio dessa parceria, PTI e MP vão implantar um portal com informações apresentadas de forma fácil, clara e objetiva a custo zero para, inicialmente, 17 municípios do Estado, devendo ser estendido posteriormente a mais municípios.

O apoio aos municípios na revisão dos Planos de Saneamentos Básico é outro trabalho que o PTI e a Itaipu vêm desenvolvendo no Oeste paranaense. Esses planos são requisitos para que os municípios recebam recursos do Governo Federal destinados ao saneamento básico. Dos 54 municípios da região, 14 estão sendo atendidos pelo projeto, beneficiando cerca de 400 mil habitantes.

Como o desenvolvimento social está interconectado ao desenvolvimento econômico local, o Parque Tecnológico Itaipu fomenta uma incubadora de negócios, onde nascem empresas das áreas de tecnologia, construção, gestão e sustentabilidade e agronegócio. A incubadora já recebeu mais de 300 ideias de novas empresas para a região, que terão suporte para alavancar seus projetos. Até o final de 2018, a projeção é que a Incubadora gere mais de 130 postos de trabalho, com uma receita superior a R$ 2 milhões.

Na região da América do Sul em que três países fazem fronteira – Brasil, Paraguai e Argentina -, o PTI atua com parcerias que conectam o progresso e a sustentabilidade, a tradição e a inovação, os recursos naturais e a inteligência artificial. O Parque também atua com um grupo de trabalho para fortalecer as políticas públicas de saúde nos três países. E pesquisa o desenvolvimento de tecnologias sustentáveis para transformar a vida das pessoas. Esta é a missão do PTI, o Parque Tecnológico Itaipu da Itaipu Binacional, que completa em 2018 15 anos de atuação.