Startup cria tecnologia que facilita reembolso e ajuda a combater fraudes em viagens corporativas

1 - Tirando foto do recibo - iOS

Segundo pesquisa realizada pela Global Business Travel Association (GBTA) em 2016, o mercado de viagens corporativas movimentou cerca de US$ 1,3 trilhão. Apesar disso, chegar a uma política de viagens ideal ainda é um desafio para muitas empresas que investem em programas e soluções utilizando a tecnologia como aliada.

Uma das maiores preocupações das empresas durante as viagens é o controle de gastos do colaborador, além de ter que mantê-lo dentro do orçamento, nenhum gestor quer lidar com gastos excessivos ou possíveis desvios que podem trazer prejuízos para a sua empresa. Segundo dados da consultoria Hands On Solution, empresas perdem cerca de 8% do seu faturamento em desvios cometidos por funcionários – e menos de 1% dessas organizações investem em ações de prevenção.

Mesmo sendo uma situação delicada que compromete a confiança do profissional envolvido, o gestor precisa ter ciência de que esse é um risco e que existem formas de evitá-lo. Uma tecnologia que tem ajudado empresas de diversos segmentos a automatizar o processo de reembolso e otimizar a gestão dos gastos corporativos é o VEXpenses.

Criado por empreendedores de Ribeirão Preto – SP, o aplicativo, voltado para o mercado corporativo, facilita o reembolso e a gestão das despesas de viagens corporativas. Além disso, a tecnologia ajuda a reduzir o tempo gasto por gestores com tarefas administrativas, como a análise e reembolso de viagens e outras atividades relacionadas à empresa – como visitas ao cliente, deslocamento em feiras e eventos, entre outras.

“O nosso objetivo é automatizar os reembolsos de viagens e também o tempo gasto do gestor, que antes tinha que reunir todas as “notinhas” e fazer as contas manualmente. Com essa tecnologia, é possível reduzir em 88% o tempo gasto pelo profissional da empresa com essas tarefas. A tecnologia também ajuda no combate a possíveis fraudes, já que o gestor consegue estipular limites de gastos e emitir relatórios completos”, explica Bruno Pain, co-fundador do VExpenses.

Como utilizar

Para usar é simples: o funcionário tira uma foto da nota fiscal da despesa e cadastra no app. Os dados do gasto são enviados diretamente para o responsável pelo reembolso, gerando relatórios para monitoramento e auxílio na aprovação dos custos. A empresa paga apenas uma mensalidade no valor de R$14,00  por funcionário que utilizar o app no mês. Quando o sistema não for utilizado, nenhuma cobrança será feita.

Com os dados históricos, os gestores podem tomar decisões assertivas para otimização contínua desse processo na organização das despesas, controles de gastos etc. O VExpenses está disponível para sistemas Android e IOS, e pode ser baixado gratuitamente.

Sobre o VExpenses

O VExpenses (www.vexpenses.com) é um aplicativo brasileiro que facilita a gestão dos reembolsos de viagens e despesas corporativas. O app já tem mais de 15 mil usuários cadastrados – são mais de 200 empresas pelo Brasil e América Latina- e resolve o problema da prestação de contas entre as empresas e colaboradores – economizando tempo e dinheiro. Além disso, a tecnologia ajuda a evitar fraudes, cadastrar limite de gastos e buscar economia nos processos com a análise dos relatórios. O App tem disponibilidade para  Android e IOS e pode ser baixado gratuitamente.

Anúncios

Empresas inovadoras formam “profissionais do futuro” para crescerem mais

Fabio Camara - FCamara

A evolução de profissionais vem acontecendo desde sempre, ao longo dos anos, transformando completamente as relações entre empregado e empregador. De acordo com o levantamento “Tendências Globais de Capital Humano de 2018, realizado pela Deloitte com mais de 11 mil líderes de RH e de negócios, 20% das empresas desenvolvem pessoas por meio de experiências de aprendizado e 18% dizem oferecer aos seus empregados a possibilidade de se desenvolverem e traçarem novos caminhos para suas carreiras.

O profissional do futuro compreende seu papel na empresa e também se identifica com seu superior, podendo assim auxiliar no crescimento empresarial. No Brasil, empresas com cultura de startup já inovaram a forma de atrair, capacitar e criar talentos, formando seu time de elite com base nos “profissionais do futuro”. A FCamara, por exemplo, é uma consultoria de TI, que está entre as 10 melhores PMES para se trabalhar pelo Ranking Love Mondays e já atendeu 12 dos 20 maiores e-commerces do Brasil, entre eles: Netshoes, Saraiva, e Riachuelo.

Na empresa – que já formou mais de 3 mil colaboradores de alta performance em seus 10 anos de atuação – os profissionais têm horários de trabalho flexível, dentro ou fora do escritório, mudando a cara e o conceito de um ambiente corporativo tradicional, tornando ele amigável e humanizado. Eles também possuem o poder e a liberdade de aperfeiçoar processos, criar e inovar métodos, propondo mudanças, com crescimento baseado em desempenho e dedicação, independente do tempo de empresa.

“Acreditamos que o nosso maior patrimônio é o capital intelectual e que todos podem se tornar empreendedores de suas carreiras. Por essa razão, desenvolvemos durante o ano todo várias ações que incentivam a formação e desenvolvimento dos profissionais, estimulando a busca por novas conquistas, aprendizados e desafios. Queremos formar profissionais do futuro, que possam tirar o maior ganho possível de seus talentos e tenham prazer de estar aqui na empresa”, explica Fábio Camara, CEO da empresa.

A empresa tem hoje cerca de 500 funcionários e oferece programas destinados a temas de conhecimentos técnicos da área e aspectos filosóficos aplicados ao mundo dos negócios, eventos que promovem a troca de ideias e experiências entre os profissionais e fornecem informações que ajudam no dia a dia e contribuem com o repertório criativo deles. “Valorizamos pessoas que estejam dispostas a aprender e queiram crescer com a gente. Acreditamos que ao formar nosso time de elite isso irá refletir principalmente na entrega do nosso trabalho para os nossos clientes”, finaliza.

Dia do Profissional de TI: conheça os desafios da carreira de segurança da informação

unnamed (8)

Em 2017, houve quase 160 mil ciberataques em todo o mundo. Esse número tão elevado de crimes digitais reforça o motivo pelo qual tantas empresas estão investindo na contratação de especialistas em segurança da informação.  Sabendo disso, a ESET, empresa líder em detecção proativa de ameaças, aproveita o Dia do Profissional de TI para explicar os desafios e as características da carreira de segurança da informação.

“Com a quantidade de objetos conectados, o uso de cloud computing e de moedas digitais, é natural que os riscos aumentem e a necessidade de segurança também. Em um ambiente como esse, empresas que ainda não possuem segurança da informação precisam pensar nesse tema com urgência, já que seus ativos estão em risco”, reforça Camillo Di Jorge, Country Manager da ESET. Nesse cenário, o profissional de Segurança da Informação (SI) se torna cada vez mais valorizado, não somente no Brasil, mas globalmente.

Salários

De acordo com a Pesquisa Salarial 2018 feita pela consultoria Robert Walters, um engenheiro de segurança com 4 a 8 anos de experiência pode ganhar anualmente entre 109 e 119 mil reais, sendo que os salários aumentam gradualmente conforme a experiência cresce, podendo passar de 208 mil reais ao ano para pessoas que possuem mais de 12 anos de carreira.

Perfil da profissão

O profissional de segurança da informação é responsável pela manutenção das informações de uma empresa, especialmente as sigilosas, prevenindo fraudes, vazamentos de dados e ataques de ransomware. Ele pode administrar ou até auditar as informações da empresa, de maneira que elimine os riscos de um ciberataque ou perda de dados.

É uma carreira onde o profissional precisa estar sempre atualizado sobre as principais brechas de segurança, vírus, falhas em dispositivos e sistemas operacionais, além de saber qual a melhor forma de combater cada uma destas ameaças.

Como se preparar

Existem muitas certificações específicas para segurança da informação, como a CISSP (Certified Information Systems Security Professional) e a Certified Information Security Manager (CISM), além de outras, que estão relacionadas de forma menos direta à área, como a Certified Information Systems Auditor (CISA), voltada a controle de auditoria, e a Certified in Risk and Information Systems Control (CRISC), voltada para riscos corporativos em geral. Outra atividade que pode dar visibilidade ao currículo é participar de competições mundiais de cibersegurança, como a Cyber Olympics.

Mas por onde começar?

Apesar de serem certificações extremamente importantes, muitas delas são para profissionais que já possuem alguma experiência na área. Quem quer começar do zero, pode optar por cursos online para os níveis iniciante e intermediário de plataformas como Udemy, Coursera, Udacity, Veduca ou Sebrae, por exemplo.

“Não existe um mercado que não precise de segurança da informação. Portanto, é uma carreira bastante promissora”, diz Di Jorge. Mas engana-se quem pensa que só de habilidades técnicas vive um profissional de SI. “Como essa área demanda estar sempre próximo a outras equipes da empresa, além de certificações e constante atualização, são bastante valorizados profissionais com habilidades de relacionamento, liderança e trabalho em equipe”, finaliza o executivo.

Celulares touch dobráveis? Conheça essa e outras fake news que surgiram na internet

fake-2355686_1920

Em tempos de fake news, não são apenas as notícias falsas relacionadas aos candidatos à presidência que aparecem por aí. Infelizmente, as informações não verdadeiras se propagam na internet com muita rapidez e, muitas vezes, veículos grandes acabam caindo.

Saber diferenciar notícias completamente falsas de rumores, por exemplo, leva as pessoas a fazerem muita confusão com relação ao que já aconteceu ou não. Em algumas situações a mentira é óbvia, mas em outras é difícil checar os fatos.

No mundo da tecnologia não é diferente. Produtos aparecem e somem sem deixar vestígios, assim como acidentes são atribuídos a certos aparelhos quando, na verdade, não foi bem isso o que aconteceu. Nesse artigo, apontaremos algumas dessas notícias falsas que circularam por aí.

Celular dobrável: do mito à realidade

Já faz pelo menos uns quatro anos que todos os anos surge a informação que “o próximo celular da Samsung será um modelo dobrável”. Para embasar essa ideia, sempre há um “especialista ligado à indústria” para afirmar que essa era a próxima aposta da empresa.

Até hoje, tudo não passou de um rumor, alimentado muito mais pelo desejo dos consumidores em verem algo assim do que em um produto já pronto e em vias de chegar ao mercado. De tanto que se falou, entretanto, parece que ele vai se tornar realidade.

No mês de setembro, pela primeira vez a Samsung oficialmente veio a público, por intermédio do seu presidente, para confirmar que, finalmente, o primeiro celular dobrável da empresa será lançado. A expectativa é que ele seja apresentado ainda em 2018.

Homem teve a mandíbula destruída pela explosão de um celular

É possível que você tenha recebido no seu WhatsApp uma notícia chocante de que um homem teve a sua mandíbula destruída por conta da explosão de um celular próximo ao rosto. As imagens eram chocantes e mostravam um homem deitado em uma maca todo ensanguentado.

Esse é um exemplo de modificação do contexto da informação. As imagens, infelizmente, são verdadeiras, mas a causa do acidente foi outra: o rapaz em questão acendeu um explosivo na boca por não aceitar o fim de um relacionamento.

A notícia falsa dizia que o acidente em questão havia sido causado pelo curto circuito em uma corrente elétrica no aparelho durante a recarga. Um fato como esse pode até ocorrer, mas felizmente não foi esse o caso.

Explosão de um posto de gasolina causada por um celular

Outra notícia muito popular em grupos de família é a de um carro que explodiu em um posto de gasolina, supostamente por conta de um celular. O fato é que as imagens da explosão e o acidente em si de fato aconteceram. O ocorrido foi na cidade de São Paulo, em abril de 2017.

Entretanto, diferente do que as correntes de WhatsApp afirmam, o motivo da explosão não foi um celular. Especialistas consultados na época destacaram que seria impossível que um smartphone causasse um acidente dessa magnitude.

A razão do acidente, portanto, permanece sendo um mistério e o resultado das investigações acabou não sendo divulgado. Entretanto, a probabilidade de que esse fato tenha sido causado pela explosão de um celular é remota, o que torna a afirmação falsa.

Acidente com celular em Alagoas mata família inteira

Uma família inteira na cidade de Cajueiro, em Alagoas, morreu em razão da explosão de um celular. A notícia falsa que circulou por aí dizia que por conta do acidente com o aparelho houve um incêndio e nele uma mãe e seus dois filhos acabaram falecendo.

O que aconteceu de fato, segundo a apuração da reportagem do G1, foi que um fio desencapado acabou encostando em um varal de arame e isso gerou um curto-circuito. O curto provocou o incêndio da residência da família, vitimando a mãe.

Dois filhos dela morreram ainda no mesmo acidente, porém tentando salvar a mãe das chamas. Apesar da confirmação da infelicidade, é importante salientar, mais uma vez, que a causa do acidente não foi o aparelho de celular.

O Facebook vai cobrar assinatura dos seus usuários?

Fechando a nossa lista temos outra fake news que existe desde os tempos do Orkut, mas que volta e meia ressurge novamente nas correntes via celular: a de que o Facebook – ou qualquer outra rede social – passará a ser paga.

Felizmente, nenhuma empresa responsável por redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn ou qualquer outra – declarou em nenhum momento que tem intenção de cobrar para que os usuários tenham acesso ao serviço. Isso, inclusive, seria inviável dentro do modelo de negócios.

O que pode ocorrer é que essas plataformas adotem recursos diferenciados e cobrem por eles, mas o acesso em si a tudo o que já existe hoje não passará a ser cobrado. Portanto, se vir alguém compartilhando algo assim, desminta imediatamente e não ajude a propagar fake news.

Seguro para celular: esse vale a pena de verdade

Se alguém disser para você que seguro celular só vale a pena para aparelhos mais caros, desminta. Com valores de mensalidade acessíveis, uma proteção extra para o seu smartphone garante mais tranquilidade em casos de furtos e roubos.

Aliás, os smartphones intermediários estão entre os mais roubados no país, especialmente pelo fato de ser mais fácil comercializá-los de forma ilegal. Portanto, independentemente do seu modelo de celular, adote uma proteção para ele.

Internet das Coisas para gestão de ativos é a aposta da Infor para logística

iot-3404892_1920

A Infor, provedora líder de aplicações especificas por mercado e desenvolvidas para a nuvem, anuncia o lançamento do Infor Internet of Things (IoT). A plataforma fornece a introdução de dados nos dispositivos conectados à IoT, de forma segura, sem escala e de qualquer lugar. As informações do sensor IoT são sincronizadas com os dados retirados do Infor EAM Asset, ferramenta de gestão de ativos, melhorando a detecção de exceções, fluxos de trabalho, relatórios, data analysis e AI.

“A Infor vai proporcionar uma mudança radical no gerenciamento complexo de ativos por meio dessa plataforma de IoT. Também vai oferecer à sua base de clientes algo inatingível no passado”, disse Kevin Price, evangelista técnico de produto do Infor EAM. “Com melhorias abrangentes em energia, eficiência e confiabilidade de desempenho, as organizações poderão entender a condição de uma infinidade de ativos em tempo real.”

Segundo Prince, um dos segmentos que podem ser beneficiar com o Infor IoT é o de Transportes. “A plataforma da Infor pode acrescentar dados históricos de gerenciamento de ativos, do fluxo de trabalho, confiabilidade e sustentabilidade com fontes de terceiros”, comenta o diretor. O Infor IoT também pode incluir estatísticas operacionais, condições climáticas e estatísticas, fontes financeiras como custo por quilômetro, depreciação, orçamento operacional e de reposição, além de dados on-board que vão demonstrar o consumo de combustível, desgaste de veículos, consumos de energia e desgastes mecânicos. Os sensores IoT alimentarão os dados de rastreamento da localização GPS com altitude, aceleração, nível de iluminação, temperatura ambiente e muito mais.

O Infor IoT é integrado ao Amazon Web Services (AWS) IoT, o que possibilita aos clientes aproveitar da escalabilidade, estabilidade e a segurança da ferramenta. Além disso, as análises de IoT são fornecidas via Birst, uma plataforma baseada na nuvem para business intelligence em rede. Com o Birst, as empresas podem agregar dados de dispositivos conectados à rede e modelá-los em estruturas métricas consistentes, o que vai permitir rastrear, analisar e melhorar a eficiência operacional, além de trazer mais segurança, conformidade de processos e a eficácia nas vendas.

A Infor é capaz de conectar esses pontos com o apoio das suas ferramentas de gestão de ativos (EAM), Internet das Coisas (IoT), Rede Inteligente e aberta (ION), e de Business Intelligence (Birst), colocando esse “ideal inatingível” na ponta dos dedos dos usuários da Infor, e de uma maneira que seja fácil de entender e rapidamente utilizada.

Dicas de uso das redes sociais para micro e pequenos empreendedores

carvalho-assessoria-2-1024x682

Nos últimos anos, o crescimento das redes sociais vem crescendo vertiginosamente. Com isso, já é imprescindível que as empresas também estejam nas redes sociais. Não é diferente para os micro e pequenos negócios, mas é preciso saber utilizar as estratégias corretas.
Segundo pesquisas do Sebrae nos últimos três anos, os pequenos negócios no Brasil cresceram muito no uso de ferramentas digitais. Os estudos apontaram que hoje 72% das pequenas empresas utilizam o WhatsApp para se comunicar com clientes e 40% têm perfil no Facebook. No entanto, apenas estar nas redes sociais não é suficiente, é preciso saber quais conteúdos abordar. Rodrigo Carvalho, Mestre em Comunicação e Diretor da Carvalho Assessoria e Comunicação Estratégica, aponta que é preciso conhecer o público de cada empresa e as particularidades de cada rede social. “É necessário que as empresas tenham canais de atendimento, divulgação e relacionamentos com seus clientes. Por isso, elas estão cada vez mais preocupadas com suas ações de marketing digital, ainda que a empresa seja de pequeno porte”, aponta.

Conhecer seu público
Ter conhecimento sobre o público que se quer alcançar é o primeiro passo para uma boa gestão das redes sociais. Rodrigo aponta que é preciso saber para quem a empresa está falando. “Micro e pequenas empresas têm um público mais delimitado, assim, é fundamental saber o que seu público quer ver, quem ele é, do que gosta. Todas as características do público são de suma importância para uma boa estratégia nas redes sociais”, esclarece.

Quais redes sociais usar
“Depende!”, Rodrigo Carvalho enfatiza. Cada público e tipo de negócio deve focar em uma estratégia diferente. Algumas como Facebook e Instagram são mais comuns para todos os tipos de negócios. No entanto, existem diversas outras redes sociais que o público pode estar e o micro e pequeno empresário não conhece. Por exemplo, as gerações mais novas muitas vezes não utilizam tanto o Facebook, elas preferem comunicações mais rápidas e interativas, que são possíveis no Instagram, Snapchat ou Twitter. Já os públicos com mais idade preferem o tradicional Facebook.
Além disso, cada uma dessas redes sociais tem seu formato específico, então, o conteúdo produzido para uma pode não ser o ideal para outra. Dessa maneira, também é importante conhecer as particularidades de cada rede social. O Facebook, por exemplo, privilegia relacionamentos pessoais. O LinkedIn, é usado para atrair e manter negócios profissionais. Já o Instagram tem o foco na imagem e pouco texto, o que acaba sendo uma rede muito boa para negócios em que o objetivo seja compra e venda. Por fim, o WhatsApp, em função de sua característica de comunicação rápida, tem sido muito útil para ambientes de negócios, e, até mesmo por isso, já tem uma versão business.

Definir uma estratégia e linguagem
Outro ponto importante é a definição de uma estratégia e linguagem nas redes. “Após ter definido o público e qual rede social é melhor para ele, não adianta colocar qualquer conteúdo nessas redes. É preciso definir quais estratégias usar, em quanto tempo serão postados os conteúdos, qual o formato será usado em cada postagem – se serão imagens, textos ou vídeos, por exemplo – e, também, qual a linguagem será usada, por exemplo, uma empresa mais séria e com um público mais tradicional não pode usar os famosos “memes” nas redes sociais, porque não vai funcionar”, aponta Rodrigo Carvalho.

Profissionalismo
Muitos empresários acreditam que por sua empresa ser de micro ou pequeno porte não é necessário ter profissionais para gerir suas redes sociais e acabam eles mesmo fazendo o trabalho, que, por muitas vezes, fica amador. No entanto, mesmo que a empresa seja pequena é preciso mostrar profissionalismo. “Um profissional da área irá saber definir o público e estratégias para cada rede social. O meio digital é, hoje, uma das primeiras portas que o público tem para chegar até a empresa, por isso, investir nesse aspecto é crucial para que já ali se tenha algo que mostre todo o profissionalismo da empresa, independente de seu tamanho”, finaliza.

Privalia promove talk sobre varejo online e tecnologia

348174_832650_cA_pia_de_privalia_baixa080.jpg

A Privalia, outlet digital líder no segmento, reuniu nesta quarta-feira (10), na MktMix Assessoria de Comunicação, em São Paulo, especialistas sobre varejo online e tecnologia para um talk sobre o futuro do consumo e comunicação no Brasil. Mediado por Roberto Ethel, sócio-diretor da agência, o encontro contou com a participação de Eduardo Cordeiro – diretor de marketing da Privalia -, Ciça Mattos – professora de Planejamento de Marketing Digital e Marketing Digital para Moda na São Paulo Digital School (SPDL) -, e Paulo Conegero – especialista em consultoria de reposicionamento de marcas, com ênfase para os mercados de moda, luxo e beleza.

O crescente  e-commerce em todo o mundo foi um dos pontos principais da conversa.  Um dos destaques foi sua importância no varejo e como ele se integra em todos os segmentos do mercado. O foco no consumidor também entrou em pauta, com a importância da postura das marcas e como disseminar corretamente as informações em meio ao avanço tecnológico. Outro tema abordado foi as estratégias de comunicação que as marcas adotam para conseguirem cada vez mais destaque na internet, com ajuda das redes sociais.

O evento reuniu também representantes de grandes marcas como Tiffany & Co, Safilo, Tramontina, LYCRA®, Havana, Chandon, Grupo IMC, Lacoste, dentre outras.

Para saber mais sobre a Privalia, acesse: www.privalia.com.br